Sexta-feira, 2 de Novembro de 2007

A Ordem de Cristo

Foi D. Dinis, o sexto Rei de Portugal, que incentivou a descoberta de novas terras para expandir o Império Português. D. Dinis mandou implantar o pinhal de Leiria, com objectivo de arranjar madeira para as embarcações, e foi ele que fundou a Ordem de Cristo, pedindo autorização do Papa João XXII, o qual aceitou fazendo a Bula.
Assim, a Ordem de Cristo veio substituir a Ordem do Templo em Portugal, transferindo os Templários Portugueses para a Ordem de Cristo, protegendo-os do total massacre mandado pelo Papa. D. Dinis queria, de alguma forma, agradecer a ajuda dos Templários pela sua ajuda na luta contra os mouros.
A Ordem de Cristo ficou sedeada a partir de 1357, em Tomar. Os membros desta ordem tiveram um papel importante nos Descobrimentos e nas conquistas de novas terras. Tomar foi onde existiu a escola de Capitania e a sede da Ordem de Cristo, onde matemáticos estudaram e criaram novos instrumentos náuticos, e onde grandes navegadores aprendiam a navegar.

Grandes Descobridores portugueses como Vasco da Gama, Bartolomeu Dias, Pedro Alvares Cabral e Cristóvão Colombo pertenciam à Ordem de Cristo. Todos estes navegadores tinham o símbolo da Ordem de Cristo nas velas das suas embarcações. Embora Cristóvão Colombo navegasse à mercê do rei de Espanha, não deixava de ser da Ordem de Cristo. Mais tarde, por volta de 1580, Portugal, a maior potência mundial, foi conquistada facilmente por Espanha. O exército de Portugal era um dos melhores do mundo, assim como a sua marinha, mas quando D. Sebastião invadiu o norte de África , perdeu essa grande frota terrestre na batalha de Alcácer – Quibir. A marinha estava em alto mar, protegendo as colónias portuguesas. Daí digo que Espanha conquistou facilmente Portugal. A partir de desse ano a Ordem de Cristo foi obrigada a aceitar navegadores de Espanha. Daí em muitas situações, como em filmes ou em imagens, as embarcações espanholas aparecerem com o símbolo de Ordem de Cristo nas suas velas. 

 

 

            

                   D. Dinis                               Símbolo da Ordem de Cristo

  

Da grande missão histórica do País, o contributo da Ordem de Cristo foi determinante para o êxito dos Descobrimentos Portugueses.

 

 

por Paulo Guilherme Peixoto

Publicado por Imperiopt às 21:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
4 comentários:
De Anónimo a 13 de Julho de 2010 às 15:34
ola paulo como estas?? no texto sobre os templários existem duas gaffes que deves alterar. a primeira é que o rei D.Dinis não mandou plantar o pinhal de leiria por causa dos futuros descobrimentos que começam na 2ª dinastia, o pinhal foi plantado devido a grande erosão nessa região afim de tornar as terras mais ferteis e pk o grande motor de energia nessa altura era a madeira. e mais grave é que Dom sebastião não perdeu armada nenhuma em alcaçer quibir até porque aquilo é... deserto eheh a grande e famosa ARMADA INVENCIVEL PORTUGUESA foi perdida quando estavamos sobre dominio filipino e a enviou contra inglaterra e foi perdida sim devido a uma tempestade que dizemou quase 90% da frota.
para mais duvidas escreve para zeantunes1010@gmail.com
De Anónimo a 13 de Julho de 2010 às 15:36
desculpa alguns erros mas estava mm a escrever a pressa ehehe tal como dizimou
De Pedro Lencastre a 11 de Janeiro de 2011 às 14:32
e tal como dizeres que a batalha de alcáver quibir foi em 1580.
1578 meu caro amigo.
E a causa da derrota nao foi nada do que disseste. As embarcaçoes iam pelo mediterrâneo e o exercito portugues aliado com um princepe mouro ofi apanhado de surpresa, no deserto, local inóspito para os guerreiros cristãos com pesadas armaduras. O exército do Papa, e muitos dos guerreiros contratados no norte da europa ficaram por terra, sendo diziamos o rei D. Sebastião, a fidalguia portuguesa, e as ordens de cristo e de aviz.
De Anónimo a 11 de Janeiro de 2011 às 14:34
pincipe

QUem pede desculpas agora sou eu

Comentar post

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.

Luís Vaz de Camões

Pesquisar:

 

Autores do Blog:

» Paulo Guilherme Peixoto
» João António Peixoto

Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts Recentes:

O Passado e o Futuro de P...

O ANO DO ENGANO - 1477

Portugal

Fado do Estudante

25 de Abril de 1974

Vasco Santana

Descoberta da Terra Nova

Histórias de S. Lourenço

Portugueses no Japão

As Embarcações Portuguesa...

Os Descobrimentos

Mariza - Gente da Minha T...

Dulce Pontes - Canção do ...

Infante D. Henrique

A Ordem de Cristo

A Gente Lusitana

Análise Histórica:

Para entendermos determinado período ou personagem histórica, temos de mergulhar na mentalidade dessa época. É necessário penetrar nas causas, nas motivações, nos desejos, nas utopias ou ideias, no sentir, na visão de um povo, de um homem, ou de um grupo de humanos, para, de seguida, se poder compreender o significado da sua acção histórica. Trata-se de captar o centro de onde irradiaram os grandes fenómenos históricos.

Visitantes:


Estatísticas

Som:


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com